segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

daqui, de onde me vejo sentada, com mil sonhos pendurados nos dedos...

quando eu te via, bermuda desbotada, cabelos curtos, sem relógio, sem perfume, sem pretensão, eu pensava: menino que quero para toda a vida... quando, de longe, você vinha na bicicleta verde, rosto contra o vento, anseios e saudades, violão a tiracolo, eu desejava: que esse menino realize todos os seus desejos... quando de noite, já tarde, madrugada, eu me pendurava em teu abraço nas calçadas, becos, praças, eu constatava: esse menino é de verdade... e todas as vezes que, debruçada sobre teus olhares, quis te impressionar, foi pra ser a tua menina. a menina do menino. eram mil sonhos pendurados em teus dedos e mil estrelas formando as constelações do nosso novo (tão antigo) sentimento: era amor o que me prendia nos teus braços.

milena bandeira

3 comentários:

josé leite netto disse...

Milena,

Muito bons ouvir suas palavras. Gostei de seus versos ou poemas em prosa. Belas Imagens.

Paty Lopes disse...

Belissimas imagens...

quase um diario fotografico

Mil disse...

Obrigada pelas palavras. Sei da sua sinceridade, José... E você, Paty, obrigadão!!!

Grande abraço e obrigada pelo convite!!!