segunda-feira, 1 de novembro de 2010

No Cabaret


Por gostar
assim talvez,
Por amor
Por cuspir
e feder.
Se sentiu parte
daquele recinto
onde
era lugar
De mostrar.

Olhou

mais uma vez

para as pernas
da mulher a insinuar-se
e deixou-se

levar pela fumaça do cigarro derbi.
Aquilo
era
Ele
também.

Então
deleitou-se

em mais uma

Insólita

dança-comum

das putas.

6 comentários:

josé leite netto disse...

muito massa ese seu poema. Rebelde. gostei

josé leite netto disse...

muito massa ese seu poema. Rebelde. gostei

Paty Lopes disse...

Rebelde?
Hum...
Prefiro despudorado,a poética da Luxúria.

Paty Lopes disse...

Hey Netto,o cigarro tem marca
(Derbi)
q q tu acha de eu colocar???

NáJung disse...

estou aqui!

Talles Azigon disse...

o poema
como a autora prefere
despudorado
^^
dança
sexualmente falando

maravilhoso honey