sábado, 6 de novembro de 2010

o pesar e o destino

o pesar e o destino


Mona

quem disse saber do teu carinho
soube mais, sabendo era menino
querendo fez da estrada o ninho
soube sem querer que o pesar era destino.


quem disse saber do teu caminho
soube sedento por saber estava mentindo
querendo só um beijo na boca
soube a solidão que o amor é leve.
José L. Netto

5 comentários:

Talles Azigon disse...

ah caro poeta, é como a Paty diz, diante da tua obra esplêndida falar pode macular o sentimento causado

Paty Lopes disse...

Talles, meu anjo,eh por esse exato motivo, q mt vezes só me cabe o silêncio.
Parabéns Zenetto, teus poemas transcendem e nos deixam com o efeito de "abstratência" (esse digno ofico da palavra).

josé leite netto disse...

ta´ok. Obrigado. Mas estou sentindo falta dos poemas de vcs.

Talles Azigon disse...

é só mandar o convite tallesazigon@gmail.com e será honra bater o meu ponto aqui também

Mil disse...

teu poema é deleite. deleito-me. vários sentimentos me absorvem e eu me rendo aos efeitos de tuas palavras.